Abrindo
Guia do Marceneiro
FERRAGENS PARA MARCENEIROS E MARCENARIAS - MADEIRA TRANSFORMADA
 
MADEIRA TRANSFORMADA
Enquanto trabalhada sob a forma de peças serradas, a madeira apresenta excelentes propriedades mas também alta heterogeneidade e anisotropia das quais derivam uma boa parte das falhas de comportamento.
Visando minimizar estes defeitos, foram desenvolvidos processos capazes de reestruturar a madeira como material e torná-la mais homogênea.
Esta á a base do conceito de madeira transformada.
Reduzindo a madeira a fragmentos cada vez menores e re-agrupando-os com adesivos, uniformiza-se grande parte das características do produto.
Muitos produtos de madeira transformada são empregados atualmente pela indústria: compensados, laminados, painéis de fibra, MDF, etc.
A estrutura da madeira processada e reorganizada apresenta várias características satisfatórias:
Maior homogeneidade no comportamento físico e mecânico e melhoria das propriedades tecnológicas.
Maior possibilidade de receber tratamentos com resultados mais satisfatórios (secagem, preservação, etc.) durante de fragmentação que antecede a aglomeração ou colagem.
Possibilidade de se confeccionar peças de grandes dimensões requisitadas pela indústria.
Aproveitamento da quase totalidade do material lenhoso de uma árvore.
Madeira laminada - Constitui-se de tábuas de fina espessura (até 25 mm) coladas sobrepostas umas as outras. A idéia vem de 1905 e pertence ao engenheiro alemão Otto Hetzer.
A resistência à flexão e à compressão axial aumentam consideravelmente em relação a madeira natural.
O processo é simples: a madeira é cortada em forma de tábuas, seca em estufa, tratada (ou não), aplainada colada e então prensada.

Madeira laminada compensada (contraplacados):
É obtida pela colagem de peças de lâminas de madeira retiradas em um torno, como se fosse uma bobina de papel sendo desenrolada.
As lâminas são cortadas em guilhotinas em tamanhos padronizados e sobrepostas de modo que as fibras fiquem orientadas em sentido perpendicular umas as outras.
O método foi patenteado em 1886 por Witikowski, mas o processo de recobrir a madeira já era conhecido desde os egípcios.
A grande vantagem da madeira compensada é a diminuição das variações dimensionais causadas pela retratibilidade (ideal para móveis).
A resistência do laminado compensado depende da espécie utilizada, do tipo de cola, número de lâminas e espessura de cada uma.

Madeira aglomerada:
Chapas ou peças de outros formatos confeccionados através da aglomeração de fragmentos de madeira (cavacos, flocos, maravalha, etc.).
Podem ser de vários tipos, espessuras e de características físico-mecânicas diferentes, dependendo da granulometria dos fragmentos e da pressão no processo de compactação das peças.
O aglomerante empregado pode ser mineral (portland, gesso, magnésia sorel) ou resinas sintéticas.
As chapas produzidas com resinas fenólicas têm maior aceitação na indústria de móveis e acabamento.

Madeira reconstituída:
São chapas obtidas a partir da aglomeração de fibras celulósicas (separadas).
O processo de desfibramento pode ser realizado através de meios mecânicos ou por expansão em autoclave (processo Mason, de William Mason quem primeiro patenteou o método).
É o último nível de fragmentação do tecido lenhoso de uma árvore.
Os aglomerantes usados podem ser resinas sintéticas fenólicas ou lignina (integrante químico natural da madeira).

 
1999/2017 Guia do Marceneiro ®  -  Criado e mantido por Sidney G. Cury