Fórum:   
Esqueceu?
Guia do Marceneiro
FERRAGENS PARA MARCENEIROS E MARCENARIAS - PINHO DO PARANÁ
 
PINHO DO PARANÁ
Nome Científico:
Araucaria augustifolia (Bert.) O. Ktze., Araucariaceae.

Outro nomes e Espécies Afins:
No Brasil é conhecida como Pinho, Pinho do Paraná, Pinho-Brasileiro, Cori Cori, Curiúva, Pinhão e Araucária.
No mercado externo é chamada Parana-pine.

Nomenclarua Estrangeira:
Araucaria (Chile, Grã-Bretanha); Parana Pine (Chile, Grã-Bretanha); Pin Parana (França); Pino Blanco, Pinheiro-do-Brasil (Paraguai); Pino Parana, Kuri´y (Argentina)

Descrição da Árvore:
Em florestas antigas, são comuns árvores de 20 a 25 m de altura por 1,0 a 2,0 m de diâmetro ou mais, podendo atingir 50 m de altura e 2,3 m de diâmetro.
O tronco é retilíneo, cilíndrico, raras vezes ramificado.

Características da Madeira:
Cerne e alburno pouco diferenciados, branco-amarelado, uniforme; freqüentemente apresenta núcleos largos, róseo avermelhados; ás vezes a cor pardo-clara uniforme, pode caracterizar a madeira como cor própria.
Superfície lisa ao tato; medianamente lustrosa; cheiro pouco intenso e agradável de resina; gosto pouco acentuado, também de resina; textura fina e uniforme; grã direita.

Região de Ocorrência:
Desde a Serra da Mantiqueira (MG e SP), estendendo-se pelo Paraná até o Rio Grande do Sul.

Propriedades Físico-Mecânicas:
A madeira de Pinho do Paraná é classificada como de características médias em relação à densidade, resistência mecânica e retratibilidade.

Massa específica g/cm³ kg/m³
Aparente(15% de umidade) 0,55 550
Básica 0,45 450
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica
(%) 4,0 7,8 13,2
Índice tangencial/radial = 1,95
Resistência Mecânica (kgf/cm²) Madeira Verde A 15% de umidade
Compressão axial 268 472
Flexão estática 609 873
Tração normal 35 -

Comportamento Durante a Secagem:
A secagem natural do Pinho-do-Paraná é difícil por apresentar tendência à distorção e rachaduras.
O processo de secagem artificial deve ser controlado cuidadosamente, para que se possa obter madeira de qualidade.

Programa de secagem sugerido para madeira de PINHO-DO-PARANÁ com até 38 mm de espessura.
Umidade Ts (°C) Tu (°C) UR (%) UE (%) Potencial
aquecimento 50,0 49,0 95 21,5 -
até 50 50,0 48,0 89 18,0 3,4
50 50,0 46,5 81 14,7 3,4
40 50,0 44,5 72 12,0 3,3
30 55,0 47,0 62 9,6 3,1
25 65,0 55,0 59 8,2 3,0
20 70,0 56,0 50 6,7 3,0
15 70,0 50,0 35 5,0 3,0
10 70,0 42,0 20 3,3 3,0

Programa de secagem sugerido para madeira de PINHO-DO-PARANÁ com espessura de 40 mm a 65 mm.
Umidade Ts (°C) Tu (°C) UR (%) UE (%) Potencial
aquecimento 40,0 39,0 94 21,6 -
até 50 40,0 38,5 91 19,8 2,7
50 40,0 38,0 88 18,3 2,7
40 40,0 37,0 83 16,2 2,5
30 45,0 39,5 70 12,1 2,5
25 55,0 47,5 64 10,0 2,5
20 65,0 54,5 58 8,0 2,5
15 70,0 54,0 45 6,1 2,5
10 70,0 46,0 27 4,1 2,5

Trabalhabilidade:
Fácil de ser trabalhada com ferramentas manuais ou máquinas.
Se a madeira de compressão está presente então pode ter considerável distorção quando é feito o aplainamento ou re-serragem.
Fácil de colar e aceita bem acabamentos superficiais.

Indicações de Uso:
Tábuas de forro e formas para concreto, molduras, guarnições; ripas, caibros e vigas em construções temporárias; cabos de vassoura, brinquedos, embalagens leves, estrutura de móveis, prateleiras, balcões, palitos de fósforo e de sorvete, móveis populares, instrumentos musicais, etc..

 
1999/2017 Guia do Marceneiro ®  -  Criado e mantido por Sidney G. Cury