Abrindo
Guia do Marceneiro
FERRAGENS PARA MARCENEIROS E MARCENARIAS - ITAÚBA
 
ITAÚBA
Nome Científico:
Mezilaurus itauba (Meissn.) Taub., Lauraceae.

Outro nomes e Espécies Afins:
É conhecida também pelos nomes de Itaúba-amarela, Itaúba-abacate, Itaúba-preta e Louro-itaúba. M. synandra e M. navalium possuem madeiras com características similares.

Descrição da Árvore:
Árvore de grande porte, chegando a 40 m de altura e 80 cm de diâmetro; em solos arenosos ou pedregosos desenvolve-se menos.
Possui casca avermelhada e fissurada.

Características da Madeira:

Cerne amarelo oliva quando ainda tímido, tornando-se pardo com a exposição ao ar; alburno distinto, de cor bege-claro.
A madeira não apresenta desenhos, tendo textura média, pouco brilho e grã regular; lisa ao tato.
Quando recém-cortada tem cheiro agradável e gosto picante, porém pouco perceptíveis quando seca.

Região de Ocorrência:
Muito comum na região de Óbidos (PA) e no rio Tapajós; dispersando-se até as Guianas e o estado de Mato Grosso.
É encontrada sempre em solos pobres, silicosos ou argilo silicosos.

Propriedades Físico-Mecânicas:
A madeira é muito pesada e dura, com alta resistência mecânica e baixa retratibilidade.
Elevada resistência natural ao apodrecimento e ao ataque de insetos.

Massa específica g/cm³ kg/m³
Aparente(15% de umidade) 0,96 960
Básica 0,78 780
Retração Total Radial Tangencial Volumétrica
(%) 2,3 6,7 12,1
Índice tangencial/radial = 2,91
Resistência Mecânica (kgf/cm²) Madeira Verde A 15% de umidade
Compressão axial 588 697
Flexão estática 1.177 1.290
Tração normal 110 -

Comportamento Durante a Secagem:
A secagem ao ar é lenta e difícil, porém sem causar alta incidência de defeitos.
A secagem artificial é reportada como lenta, com ocorrência acentuada de rachaduras e moderada de empenamentos.
Não há indicação de programas específicos para a madeira de Itaúba.

Trabalhabilidade:
Moderadamente difícil de ser trabalhada, tanto com ferramentas manuais como com máquinas devido á presença de sílica; porém propicia bom acabamento.

Indicações de Uso:

Em construções externas tais como estruturas de pontes, postes, moirões, dormentes, cruzetas, defensas, estacas, partes internas em construção civil como vigas, caibros, ripas, marcos ou batentes de portas e janelas, esquadrias, caixilhos, tacos e tábuas de assoalho; mobiliário comum, construção naval, barcos, carrocerias, tanoaria, peças torneadas, cabos de ferramentas e implementos agrícolas e etc.

 
1999/2017 Guia do Marceneiro ®  -  Criado e mantido por Sidney G. Cury