Fórum:   
Esqueceu?
Guia do Marceneiro
CHAPAS PARA MARCENEIROS E MARCENARIAS - CHAPA DURA
 
CHAPA DURA
As chapas duras ou chapas de fibra, são painéis de alta densidade produzidos por processo úmido utilizando-se calor e pressão sem a adição de resina.
Dentre os painéis de madeira reconstituída é o menos consumido mundialmente e sua tecnologia de fabricação é considerada poluente e obsoleta.
São painéis utilizados pelas indústrias moveleiras, de construção civil e automobilística.
No Brasil a madeira utilizada para a fabricação desse painel é o eucalipto, proveniente de florestas plantadas.

O processo produtivo das chapas de fibra envolve um elevado volume de água que é adicionado à fibra de madeira de eucalipto e, depois, retirado com a ação de calor e pressão, fazendo com que as fibras do eucalipto fiquem consolidadas em chapas de madeira.
É um processo termomecânico, sem a adição de resinas que não a lignina, resina natural do eucalipto.

As chapas de fibra fabricadas têm espessura que varia de 2,0 a 6,0 mm, e o processo produtivo pode ser esquematizado como segue:
1. Produção de cavacos - a matéria prima, toras de eucalipto, é transformada em cavacos;
2. Produção de polpa - os cavacos são transformados em polpa através de um processo termodinâmico de desfibração, sendo que a polpa é misturada à água, por ser um processo úmido de fabricação;
3. Processo de colchão de fibras - a polpa forma colchões de fibra, que são produzidos em um equipamento denominado máquina formadora.
Durante a formação dos colchões de fibra, pequena parte das frações finas da polpa é retirada do sistema de água fervida, sendo que o conjunto formado pela água e pelos fragmentos de fibra é enviado ao decantador, de onde volta ao processo produtivo;
4. Pesagem - o colchão de fibras é transformado em chapas duras por meio da expulsão mecânica da água do colchão, seguida da evaporação da água residual pela ação do calor até a secagem;
5. Tratamento térmico, resfriamento e umidificação - após a prensagem, as chapas são submetidas ao processo de tratamento térmico, resfriamento e umidificação.
Nestas condições ocorre a consolidação da chapa de fibra no que se refere à resistência mecânica, à água e estabilidade dimensional;
6. Refilo - consiste na operação de refilagem das chapas, necessárias em função das irregularidades e danos verificados nas bordas das mesmas;
7. Acabamento - operação de corte, calibração e beneficiamento das chapas de fibra

O Brasil posiciona-se como o 3º produtor e o 4º consumidor mundial.
A produção nacional de chapa de fibra manteve-se praticamente estável no período 1997/2001.
Os pequenos acréscimos de demanda - 2,3% ao ano - foram atendidos pela redução das quantidades exportadas.
Acredita-se que parte da demanda brasileira por esse tipo de painel venha sendo atendida por aglomerado e MDF.

São dois os fabricantes brasileiros: Duratex e Eucatex com capacidades, respectivamente, de 360 mil m³ ao ano e 250 mil m³ ao ano, ambos com fábricas localizadas no Estado de São Paulo.

FONTE: BNDES

 
1999/2017 Guia do Marceneiro ®  -  Criado e mantido por Sidney G. Cury