Abrindo
Guia do Marceneiro
MANUAIS PARA MARCENEIROS E MARCENARIAS - APRENDENDO A APLAINAR 3ª PARTE
 
Manual de manuseio de plainas elétricas e manuais - 3ª Parte
Estes manuais são baseados nas BricoFichas do site http://www.aki.pt, entretanto, as imagens foram tratadas digitalmente e alguns textos editados pelo Guia do Marceneiro.

APLAINANDO COM PLAINA ELÉTRICA
Página: 01 02 03 04

Funcionamento

FUNCIONAMENTO:
A plaina elétrica está equipada com um cilindro rotativo contendo duas lâminas.4 A base situada à frente deste cilindro é de altura regulável, pode-se assim ajustar a diferença de nível entre a base dianteira e a base (fixa) traseira.4 As lâminas rodam a grande velocidade levantando as aparas.

Ajuste

AJUSTE:
Aqui, é ainda mais importante ajustar o ferro e o contra-ferro em função do trabalho, a profundidade do corte regula-se simplesmente com um botão que permite um ajustamento muito preciso.4 Esta precisão de regulação, aliada à sua potência, fazem da plaina elétrica uma ferramenta eficaz, igualmente para os trabalhos delicados.

AS LÂMINAS:
As lâminas (também chamadas facas), são de aço resistênte. As duas devem ser colocadas na mesma altura, caso contrário, causaria muita vibração à maquina.5 Algumas lâminas têm dois ladoscortantes, uma vez danificadas, não podem ser afiadas, devem apenas ser montadas no outro sentido.4 As laminas convencionas têm um único lado de corte e permitem ser afiadas várias vezes.

Aplainando superfícies

APLAINANDO SUPERFÍCIES:
Ligue a plaina antes de a pousar na superfície. Deve segurá-la de forma bem estável.4 Utilize as duas mãos, efetuando movimentos regulares.4 Quando aplainar grandes superfícies, é recomendável trabalhar com uma regulagem pequena efetuando passagens sucessivas.

Deslocamento

SENTIDO DE DESLOCAMENTO:
A plaina elétrica deve trabalhar também no sentido do veio.4 O trabalho faz-se de maneira mais confortável, a base desliza melhor sobre a madeira e as lâminas correm menos riscos de se danificarem.4 No entanto, se não puder seguir no sentido dos veios, não há grande problema em usá-la na diagonal, desde que seja feito com cuidado. 

TÉCNICA DE MANUSEIO

Aplainando a borda

APLAINANDO A EXTREMIDADE (BORDA) DA MADEIRA:
É quando fizer esta operação, que mais se arrisca a ver a madeira lascar.4 Para o evitar, comece a aplainar a placa dos bordos para o centro.4 Ou proceda como no caso do aplainamento manual : encoste um suporte de madeira ao longo do canto que vai aplainar.

Chanfrar

CHANFRAR:
A ranhura em V, no centro da base frontal, permite chanfrar rapidamente e sem dificuldade.4 Basta para isso colocar esta ranhura sobre a aresta e guiar a máquina ao logo desta última. Mantenha constante um ângulo de 45º e efetue um movimento regular.

A Guia

A GUIA:
Guia ou batente, paralela, lateral ou ao longo: todos estes termos designam um só acessório, que se utiliza para aplainar cantos.4 Se este acessório for também ajustável em ângulo, pode biselar peças de madeira.

Ranhurar

RANHURAR:
A guia paralela permite regular tanto a largura como a profundidade do corte, é assim possível fazer ranhuras e mesmo, se a guia puder ser regulada em ângulo, fazer ranhuras em topos biselados.

Utilização estacionária

UTILIZAÇÃO ESTACIONÁRIA (INVERTIDA):
Montando a máquina, com as lâminas viradas para cima, sobre uma bancada equipada com um suporte fica com as mãos livres para deslocar a peça trabalhada, ao longo de uma guia por cima da máquina.4 O suporte deve ter uma capa de proteção que esconda automaticamente as lâminas.
Página: 01 02 03 04
 

 
1999/2017 Guia do Marceneiro ®  -  Criado e mantido por Sidney G. Cury