Abrindo
Guia do Marceneiro
ARTIGOS RELACIONADOS A MARCENEIROS E MARCENARIAS - ANATOMIA DA MADEIRA
 

Este artigo foi resumido de artigos retirados de revistas, livros e sites direcionados ao respectivo assunto.

ANATOMIA DA MADEIRA
O termo anatomia vem de "anatomé" que quer dizer dissecação, corte.

A Anatomia da Madeira é o ramo da ciência botânica que se ocupa do estudo das variadas células que compõem o lenho, bem como sua organização, função e relação com a atividade biológica do vegetal.
A anatomia constitui-se de elemento fundamental para qualquer emprego industrial que se pretenda destinar à madeira.
O comportamento mecânico da madeira (secagem, colagem de peças, trabalhabilidade e outros), está intimamente associado a sua estrutura celular.
Através da anatomia é possível diferenciar espécies, identificando corretamente a madeira.
Inúmeros trabalhos já foram publicados em anatomia, nos últimos 300 anos, existindo vasta literatura sobre as mais variadas espécies.
A Associação Internacional de Anatomistas da Madeira, IAWA, reúne pesquisadores do mundo todo que trabalham com anatomia publica um periódico específico com os mais recentes estudos nesta área. 
No Brasil, várias instituições de pesquisa dedicam-se a anatomia da madeira: IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas, em São Paulo; LPF - Laboratório de Produtos Florestais, em Brasília; Museu Emílio Goeldi, em Belém e o INPA - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, em Manaus.
Além destes, as universidades federais que mantém cursos de botânica ou engenharia florestal também possuem laboratórios destinados ao estudo anatômico do lenho.

 PROPRIEDADES ORGANOLÉPTICAS
As características da madeira que são capazes de impressionar 
os sentidos são conhecidas como propriedades organolépticas. 
Leia abaixo, uma breve descrição de cada uma delas: 


Cor - A cor da madeira deriva de substâncias químicas presentes no tronco.
A intensidade da coloração varia do bege claro ao marrom escuro, quase preto.
Existem ainda madeiras amarelas, avermelhadas e alaranjadas. A cor tende a alterar-se com o passar do tempo, escurecendo devido à oxidação causada principalmente pela luz.

Odor - Característica importante na madeira e que tende a definir o seu uso.
Madeiras para móveis não podem apresentar, por exemplo, cheiro desagradável*. Peças de madeira muito antigas podem perder parcialmente o odor, mas eventualmente este pode ser acentuado se a madeira for umedecida. O odor da madeira deve ser classificado em Agradável ou Desagradável.

Resistência ao corte manual - Verificada através do corte com estilete ou navalha no plano transversal.
A madeira pode ser classificada como pouco resistente, moderadamente dura ou dura*. 

Sabor - Está em geral associado às substâncias que conferem odor e devem ser classificadas sob odor agradável ou desagradável*.
Em algumas espécies apresenta-se amargo (Cedro), em outras madeiras pode ser nitidamente percebido: picante em Surucucumirá e adocicado em casca doce. 
Atenção: O teste de provar o gosto da madeira pode causar reações alérgicas em pessoas sensívei,.por isso deve se evitado. 

Peso específico - É a relação entre o volume verde (amostra saturada em água até peso constante) fornecido em cm³ e o peso da madeira seco em estufa fornecido em gramas.
Neste sentido as madeiras podem ser classificadas como de baixa densidade, de média densidade e de alta densidade. 

Textura - É a característica que envolve o diâmetro dos poros, sua distribuição e quantidade relativa no lenho.
A textura pode ser grossa, média ou fina*. Geralmente as madeiras que apresentam textura grossa possuem poros grandes, visíveis a olho nu, com diâmetro tangencial maior de 300 um e não recebem bom acabamento.
As madeiras de textura média apresentam poros com diâmetro tangencial dos poros de 100 a 300 um.
As de textura fina apresentam em geral poros pequeninos, uniformemente distribuídos, com diâmetro tangencial menor que 100 um. 

Grã - Envolve a orientação dos elementos celulares em relação ao eixo vertical da árvore.
Quando as células são paralelas ao crescimento vertical, a grã é direita ou regular.
Quando a grã apresenta desvios ou inclinações em relação ao eixo principal do tronco, a grã é chamada irregular, podendo ser grã oblíqua ou ainda grã entrecruzada*. 

Figura - É o conjunto de desenhos e alterações de caráter decorativo que a madeira apresenta e que a torna facilmente distinta das demais. 

Brilho - É a capacidade de refletir luz que uma determinada madeira possui.
O brilho é melhor notado no plano radial, devido ao espelhado dos raios.
O brilho deve ser observado na seção radial do cerne no momento do corte e classificado em Brilhante ou Sem brilho*. 

* = As classificações adotadas seguem as Normas COPANT (1974)

 
1999/2017 Guia do Marceneiro ®  -  Criado e mantido por Sidney G. Cury